O Bull of Heaven é o titã do tempo na música experimental

Férias e mais férias. Fiz questão de me concentrar em coisas provavelmente improdutivas enquanto estou de folga no trabalho, e descobrir bandas estranhas é um dos meus hobbys habituais.

Os fãs do Bull of Heaven provavelmente devem adorar os momentos de ócio – o que também deve ocorrer com a banda -, já que o BoH costuma lançar faixas com duração de horas, dias e até anos (!). Isso realmente não deve ser fácil de se acompanhar para qualquer ser humano com uma rotina normal para manter. Um exemplo disso é “210: Like a Wall in Which an Insect Lives and Gnaws”, que tem a façanha de ser considerado o álbum mais longo de todos os tempos por ter cinco anos e sete meses de duração (ouça um “extrato” dele abaixo).

O duo, que é formado por Clayton Counts e Neil Keener, soma a incrível marca de 362 álbuns e 97 EP’s em apenas oito anos. Eu não faço ideia de como eles encontram tempo para criar isto tudo, muito menos qual seria o intuito deles, mas é realmente fascinante a forma como tudo é abordado: gêneros musicais tão distintos são representados em diferentes discos. Drone, Dark Ambient, Plunderphonics, Jazz-Rock, Harsh Noise, Psychedelic Rock, Lo-Fi Indie, Post-Rock, Instrumental Hip-hop, Modern Classical, Stoner Rock… A lista parece infinita e, surpreendentemente, tudo é bem feito. Abaixo segue alguns álbuns que estão no youtube – e que não são tão exageradamente longos – para ter a noção dessa variedade sonora.

Jazz-Rock/ Psychedelic Rock:

Experimental Hip-hop:

Drone/Dark Ambient:

Drone/Post-Rock:

Harsh-Noise:

Free-Jazz:

Lo-Fi Indie/ Folk Rock:

Drone-Metal: